Estilo minimalista

silhouette-1901266_640Você já parou para pensar na quantidade de coisas que adquiriu ao longo da vida? Faça um exercício simples: vá até seu roupeiro e olhe para dentro. Quantas coisas há ali que você não usa há tempo? Certamente muitas! Mas pense comigo: por que mantemos em nossas vidas coisas que não são úteis? Já pensou em viver com menos? Bem, você já deve ter sacado que estou falando de uma tendência muito atual: o estilo de vida minimalista. Por acaso você já se sentiu angustiado ao entrar em casa, sem que houvesse algum motivo aparente para isso? Eu já… Você sabia que esse sufocamento pode vir justamente do excesso de coisas (inúteis) que você possui? Pois é… Veja só o meu exemplo: há alguns anos meu esposo e eu fizemos uma viagem que durou uns 20 dias. Para essa ocasião levamos 2 malas grandes cheias de pertences. Isso mesmo! Nós levamos uma quantidade absurda de coisas para passar apenas alguns dias fora de casa. Foi uma quantidade insana! Só não levei uma capivara porque não achei uma quando arrumava as malas! Se tivesse passado alguma na minha frente teria entrado na bagagem com certeza… E sabe o que aconteceu com esse mundaréu de coisas? Pois bem, além da companhia aérea extraviar as duas malas, nos fazendo perder um dia inteiro no aeroporto e uma atração desejadíssima com ingressos já comprados, as malas voltaram para casa no fim da viagem praticamente intactas. Isso mesmo: grande parte das nossas coisas não foram necessárias e nem úteis. Resumindo, foi um estresse danado para organizar as malas na ida, um estresse danado para carregá-las durante e o pior de tudo: um inferno para desfazer no fim da viagem. Veja só quanta energia desperdiçada! Eu poderia ter levado apenas 20% de tudo e estaria ótimo! Teria poupado tempo, evitado complicações e aborrecimentos. Agora, pense aqui comigo: e se eu reduzisse tudo que tenho a módicos 20%? Loucura? Pois bem: a partir dessa viagem comecei a pensar em diminuir significativamente as minhas posses. E essa ideia foi parecendo mais e mais simpática a cada dia. Até que… Decisão tomada! O estilo de vida minimalista me convenceu! E aos poucos, fui desapegando e me livrando das coisas inúteis que tinha dentro de casa. Ia passando pelos ambientes e limpando, eliminando, reduzindo. Fui indo nesse processo, dia após dia, mês após mês, gaveta após gaveta… Até que, certa ocasião, tomei uma decisão radical: aluguei uma caçamba de entulhos e coloquei na frente da minha casa. Queria dar um basta no acúmulo! A minha meta era enchê-la com tudo aquilo que não servia, que não era usado. Mesmo que estivesse em perfeito estado de conservação. Exagero? Não sei… Só sei que ficou lotada. Coloquei toda sorte de objetos dentro dela: de aparelho de fondue na caixa a móveis antigos. Muitas coisas funcionavam com perfeição, porém eram absolutamente sem utilidade para minha vida. Para minha satisfação, tudo que estava em bom estado foi recolhido pela vizinhança. Sempre há alguém interessado em um grill ou numa torradeira semi-nova! As minhas roupas (e aqui incluí cama, mesa e banho), recolhi em 3 sacos gigantes e entreguei para um centro de doação. Os livros doei para meus vizinhos. Cortinas e adornos decorativos? Fora! E assim a minha casa foi ficando vazia de objetos. Até que, num dado momento, não encontrei mais nada que tivesse cara, cor ou jeito de tralha. Foi então que o tão esperado momento chegou: caçamba foi embora! Dela restaram apenas a lembrança e uma foto que fiz questão de tirar. Hoje, quando penso naquela caçamba cheia, reconheço que não sei como vivi cercada de tantas coisas inservíveis por 40 anos! É… Realmente essa foi uma experiência libertadora, pois de todo esse processo de desapego restou apenas o essencial. E com a casa “vazia”, aquela angústia que às vezes me tomava passou. Entendi que o essencial para a vida é estar cercado de gente e não de coisas. São as pessoas que habitam a casa que fazem um lar ser pleno. Mesmo que essa pessoa seja apenas você! Os pertences não fazem a falta que pensamos, pois uma vez retirados, sequer lembramos que um dia existiram em nossas vidas. Por isso é importante ter em mente que nós, pessoas, devemos ser o foco de toda nossa energia e amor. Não as coisas! Assim, com base nessa experiência pessoal e única, eu deixo essa dica: não se perca em meio aos objetos da sua casa. Simplifique sua vida! Viva leve, viva livre. Não arrume desculpas para guardar coisas que não acrescentam vida à sua vida. Importe-se com as pessoas. Quebrou? Jogue fora! Rasgou? Doe! Você verá: será mais feliz e menos estressado. Acredite! E quando for viajar, lembre-se sempre de deixar a capivara fora da mala!

 

Anúncios

14 comentários sobre “Estilo minimalista

  1. Olá!
    Simplesmente amei o seu texto, a sua reflexão, o seu modo de pensar. No entanto, infelizmente, ainda não descobri o que é o desapego, o que é a capacidade de viver feliz apenas com aquilo que somos e não tanto com aquilo que temos. E, por vezes, não quero nem pensar nisso… Tenho tantas coisas, talvez desnecessárias, credo! Eu não seria capaz de fazer nada disso. Louvo essa coragem!!
    Beijos

    Curtir

  2. Olá!
    Amei seu texto, conheço pessoas que tem em casa vários entulhos, coisas quebradas e que certamente nunca irão mais usar ou consertar.
    Eu tento sempre utilizar o que compro, acho que da vida só levamos nossos aprendizados, nossa sabedoria. O resto tudo fica. O ser humano precisa deixar de ser tão materialista.
    Ótimo pra reflexão!
    Beijos!

    Curtir

  3. Caramba… esse é aquele tipo de texto que a gente lê e não se cansa. Parabéns! Consegui me identificar com algumas situações, por exemplo: levar para viagens curtas, muitas coisas que nem serão tiradas das malas. Exagero… precaução… não sei, rs. Tirei uma lição incrível desse texto: não devemos levar conosco, coisas que só pesam ao invés de nos deixar leves. Sejam coisas ou pessoas… saber discernir o que nos faz bem daquilo que não faz, é o segredo para uma vida tranquila.
    Estou seguindo e quero ler mais textos ótimos como esse!

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s